fevereiro 12, 2013

Royal Promenade - Capítulo 2.



Capítulo 2 - Fuel





            HeeChul saiu do quarto juntamente com Zhou Mi que arrumava seus cabelos que estavam sendo desarrumados por conta do vento. Cada um com uma toalha felpuda pendurada no braço e óculos de sol no rosto. Chegaram ao deque da piscina, onde a maior parte se constituía de uma vasta extensão de água. Não foi difícil achar o resto dos amigos se divertindo na lateral direita da piscina. RyeoWook, SungMin estavam deitados pegando sol, estirados feito dois peixinhos numa feira de praia, tão quietos que só se conseguia ver o mexer do tórax.
Continue lendo...

— SiWon, vai sair peixe frito ou peixe cozido? — Perguntou ao moreno que saía da piscina enquanto ria da própria piada infame.
—Vai lavar uma roupa, HeeChul — SungMin disse irritado, sentando-se na cadeira e abanando-se com as próprias mãos.
            O noivo deste sentou-se ao lado do próprio beijando os lábios de SungMin, que sorriu com o gesto. Logo, Kim HeeChul percebeu a presença de uma outra criatura - a mesma que estava saindo do carro com o noivo de SiWon — que estava sentado na lateral da piscina com água até os tornozelos observando a cena em silêncio.
— Quem é o marmanjo?
— KangIn, pra princesa. — Respondeu o homem rindo de lado, ao ver a expressão de falsa ofensa que HeeChul fazia.
— Grosso.
— Eu sou arrogante, grosso é o meu pau — e saiu após dar um tapinha nas costas de HeeChul que estava boquiaberto.
            RyeoWook começou a rir, assim como SungMin. LeeTeuk chegou bem na hora que HeeChul ia retrucar alguma coisa, juntamente de KyuHyun e o garçom. O garoto que aparentava ser bem mais novo que todos ali deixou alguns drinks — pedidos dos que estavam lá minuto antes — e saiu. O mais velho sentou-se ao lado do mais novo com um papel em mãos, enquanto se ajeitava em uma das espreguiçadeiras, perto da do casal de noivos, que trocaram carícias e murmúrios baixos.
— Que é isso? — SungMin e RyeoWook perguntaram ao mesmo instante à LeeTeuk que abria um papel que recebera.
            Ele era roxo e chamativo. SungMin o puxou da mão do mais velho rolando os olhos pela cara de desaprovação do mesmo.
— Boate?!
— Sério, Minnie? Boate? — RyeoWook perguntou, animadíssimo.
— Sério! Olha aqui, convés doze, boate Fuel. — apontou no panfleto.
— OH MY GOD. Temos que ir, não é mesmo SungMin?
— Aigoo. Isso depende do Lord aqui — apontou para o próprio noivo.
— Desde que não beba, por mim tudo bem — SiWon disse, sorrindo, e depois virou-se para HeeChul e KyuHyun que se estapeavam: — Dá pra parar ou tá difícil? Vou colocar vocês pra ajoelhar no milho se continuarem assim.
— No milho não, Hyung — KyuHyun choramingou.
— Calem a boca. — Zhou Mi ordenou enquanto fazia um gesto com as mãos.
            Logo o chinês levantou-se, arrancou a própria blusa, e a calça, ficando em sua roupa de banho. Chamou SiWon e LeeTeuk para mergulharem, e eles prontamente aceitaram, prontos pare se divertirem por boas horas.
                                              
(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

            Zhou Mi passou por um dos convés, ao voltar da piscina e percebeu um amplo corredor que não tinha visto antes. Não prevendo nada para fazer ao voltar pro quarto, decidiu se demorar mais um pouco naquela área. Uma área para crianças e uma aconchegante área aberta com mesas e poltronas espalhadas por toda a área. Planejou ir lá mais tarde com os outros e se virou para voltar, mas não antes de se distrair com uma longa e vermelha porta que chamou sua atenção. Esta estava na direção oposta. Havia uma grande placa escrito em letras floreadas “Freedom Day Spa” e o chinês logo suspirou, mal acreditando na beldade que havia descoberto! Poderia passar o dia seguinte inteiro ali se deliciando junto com alguns dos meninos, ou até sozinho, caso quisesse fugir de barracos.
            Logo lembrou-se que já era um pouco tarde e que deveria voltar para o quarto e arrumar-se, porém quando estava dando as costas para dirigir-se para o cômodo onde sua dúzia de malas estavam a sua espera, apenas esperando para serem exploradas, viu uma pequena silhueta deixar a porta do spa e acenar sorrindo para uma suposta cliente que deixava o local visivelmente relaxada. Os cabelos meio alaranjados do menino estavam levemente jogados para o lado por culpa do vento e as grandes e fofas bochechas fizeram as mãos de Zhou Mi coçarem de tanta vontade de apertá-lo. Antes que pudesse perceber, o chinês foi pego de surpresa pelos pequenos olhos do garoto que o encarava, com um pequeno sorriso nos lábios, como se gostasse do que via.
            Zhou Mi corou de leve ao pecebê-lo o olhando de cima a baixo, porém do mesmo jeito que se desconcertou, tomou uma posição masculina, uma posição de atacante. Encarou-o com superioridade e sensualidade e sem demonstrar um pingo a mais de interesse, saiu rebolando um pouco mais do que devia, exibindo suas longas pernas.
            Poucos minutos depois, o chinês adentrava ao quarto em que estava hospedado junto de seu melhor amigo e companheiro das melhores e piores horas. Sentou-se na cama e suspirou enquanto via o referido sair do banheiro com uma toalha enrolada na cintura e outra na cabeça, cantando:
— I pick all my skirts, to be a little too sexy, just like all my tho-
— Ya! — Zhou Mi chamou a atenção do mais velho, impedindo-o de continuar a cantarolar, que o encarou, torcendo a boca num pequeno bico, apoiando uma das mãos na cintura fina, numa nítida pose de quem está ouvindo. — Vou tomar meu banho — avisou.
— Tudo bem — o moreno respondeu enquanto retirava a toalha de seus cabelos e balançava-os de um lado para o outro, molhando sem querer Leeteuk, que estava no mesmo quarto esperando, ao invés do que dividia com KyuHyun, naquela mesma cabine. Em seguida olhou para o amigo chinês que parecia um pouco distraído ao abrir uma das muitas malas espalhadas pelo quarto. Sentou-se, cruzou as pernas e esperou que o mais alto reparasse que ele o estava espreitando.
            Zhou Mi lambeu os lábios, entediado, esperando que o mais velho dissesse alguma coisa e ele nada o fez. Revirou os olhos e voltou sua atenção à mala. De onde retirava sua roupa de guerra.
— Quem foi o felizardo que mexeu com seu coração chinês? — Perguntou HeeChul com a cara mais cínica e travessa que pode no momento e como resposta Zhou Mi lhe jogou uma cueca no meio do rosto. — Espero que isso esteja limpo — disse enquanto arremessava o pano de volta ao dono.
— AAAAH! Já está atacando inocentes por aí? — KyuHyun perguntou, da mesinha da varanda privativa, estava antes muito concentrado em algum de seus jogos. — Chineses não prestam, tsc.
— Ninguém mexeu com meu coração, HeeChul. — Deu ênfase no nome do amigo. — Não seja bobo. — Zhou Mi tentou assegurar-lhe enquanto levava sua muda de roupas recém-escolhidas para o banheiro e preparava-se mental e fisicamente para um banho revigorante.
— Pode não ter ido ainda no coração, mas com certeza foi até as calças. — Piscou e ambos direcionaram o olhar para a área baixa de Zhou Mi que estava mais marcada do que o devido, mas não tanto a ponto de ser zoada, entretanto HeeChul não mede limites.
— Você não presta.
            Zhou Mi bateu a porta do banheiro, ignorando o amigo que ria da situação enquanto focava-se em procurar por um secador de cabelos, afinal, teria que estar perfeito em questão de pouquíssimas horas.
                                                          
(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

            RyeoWook estava praticamente arrancando os cabelos de tanta raiva por culpa da desorganização e grosseria de KangIn. Havia até decidido importunar os noivos, principalmente SungMin por ter trazido aquele homem e estava amaldiçoando até as últimas cinquenta gerações de HanGeng por tê-los colocados no mesmo quarto.
 — SungMin eu espero que você não possa dar filhos ao SiWon só por ter trazido esse ogro! — RyeoWook bufou enquanto retirava uma das malas do dito cujo de cima da cama, pela milésima vez nas últimas duas horas.
— Se eu tivesse um útero eu levaria essa frase como ofensa, mas como eu não sou uma mulher, eu deixarei passar — deu de ombros, se importando mais em se olhar no espelho e preocupar-se com seu cabelo do que com o amigo que lutava contra a vontade de enforcar KangIn.
— Olha só ISSO! — RyeoWook quase gritou de tão agudo que foi sua voz.
            Ele apontava com o rosto e a voz cheios de horror por culpa de uma cueca e meias deixadas por KangIn no chão, ao lado de uma muda de roupas; as que ele usava quando chegaram ao navio.
— Eu vou dormir no meio de vocês, tô avisando — fez um gesto com as mãos de "sem mais conversas" quando viu a expressão de "Você nem pense nisso" que SiWon fez do sofá, logo ele apenas revirou os olhos e levantou-se.
— SungMin, meu amor, onde você colocou a blusa que eu escolhi?
— Em cima da cadeira, na sala — respondeu ao pôr a cabeça para fora da porta do banheiro.
— Obrigado.
            SungMin murmurou um "Sem problemas" e logo trancou-se no banheiro, terminando de se arrumar. SiWon foi o primeiro a tomar banho, ficando de jeans e pôs-se a sentar-se e ler até que todos os outros estivesse prontos. KangIn ficou tão pronto quanto em seguida, porém não quis ficar no quarto ouvindo as, segundo ele, conversas de mulherzinha de SungMin e RyeoWook e deixou o quarto, indo beber no bar.
            Cerca de meia hora se passou e SungMin estava pronto, assim seu noivo. KangIn abriu a porta do quarto, acomodando-se na soleira, esperando as meninas, como ele mesmo dissera. SiWon riu, borrifou mais um pouco de seu perfume e esperou que todos saíssem do quarto, para trancá-lo devidamente.
            Assim que o fez, rumou junto com os outros três homens ao encontro dos outros quarto que faltavam. Mandou durante o trajeto uma mensagem de texto para o celular de HanGeng dizendo que iriam para a boate esta noite e que se ele quisesse ele seria muito bem vindo a ficar com eles. O chinês o respondeu confirmando presença.
            Não demorou muito para o pequeno grupo avistar a outra parte que faltava em frente a boate mesmo. Eles estavam bem arrumados e animados e conversavam animadamente, ou ao menos era o que parecia de longe.
— Hey. — SiWon saudou, junto com os outros.
— Não quero nem saber, — LeeTeuk falava duramente com KyuHyun que o ouvia com a cabeça baixa — eu e todos aqui somos seus Hyungs e você nos deve respeito. Por isso você está proibido de tocar nesse celular durante esta noite.
— Ha! Tomou papudo! — KangIn se intrometeu, arrancando um olhar venenoso da suposta vítima.
            Os demais riram, e quando perceberam já estavam entretidos em outros assuntos e dentro da boate. Acomodaram-se primeiramente perto do bar. Observavam o local, percebendo como era bem feito, bem produzido e principalmente como os bartenders eram lindos. Não era uma boate de dois andares, como na maioria dos lugares, mas sim de um, porém era extremamente amplo, como praticamente tudo dentro do navio. A maioria dos embarcados perguntava-se como era possível aquele local ser tão gigante. Antes que pudessem começar algum assunto, a pessoa que faltava chegou para completar o grupo.
— HanGeng! — Zhou Mi disse o nome do dono do navio na perfeita entonação chinesa, arrancando um olhar fulminante de seu melhor amigo, que o puxou pela cintura, aproximando-o de si e logo largou-o, pois o bartender chegou com mais uma bebida.
            Todos cumprimentavam o chinês louro enquanto HeeChul estava de costas agradecendo por mais tempo do que o devido ao moço do bar que lhe retribuia numa simpatia invejável. Ele era moreno, um pouco mais baixo e o uniforme, uma camisa branca sob um colete preto justo definia bem seu corpo e prendia o olhar de HeeChul mais do que o adequado.
— Ya! — KangIn deu um tabefe no ombro de HeeChul para chamar sua atenção, porém o fez de forma tão bruta que o moreno cambaleou uns quatro passos para frente. — Fala com o China, aí, pô!
— Olha como fala comigo, cria de Shrek! — HeeChul empurrou-o. — TÁ PENSANDO QUE ISSO DAQUI É O QUÊ? BAGUNÇA?
            LeeTeuk e Zhou Mi puxaram o mais velho para um canto enquanto esse revirava os olhos e KangIn fazia um sinal de dois na direção dos próprios olhos, apontava para HeeChul e voltava então para si. KyuHyun ria descaradamente da situação, o que lhe rendeu um tapa na cabeça dado por SungMin.
— Deus, ponha alguma luz na cabeça dessas crianças, por favor... — SiWon murmurava ao lado de HanGeng que ria soprado.
            O chinês ficou seu olhar em HeeChul que estava entretido numa conversa com Zhou Mi e DongHae, o barman que ele havia contratado alguns meses atrás. Ele era um bom funcionário, além de ótima pessoa. Porém nesse exato momento desejou que ele não fosse tão atraente quanto era.
            HeeChul estava com uma calça jeans vermelha e uma regata preta, o que fazia com que os olhos do dono do navio não se desprendessem dos braços e do pescoço do coreano. Sabia que o mais velho era teimoso, arrogante, prepotente e irritantemente atraente, mas acharia alguma forma de fazê-lo olhá-lo como homem e não só como mais um que o queria.
            Ele não era mais um.
            Zhou Mi piscou para DongHae e pediu licença, obrigando HeeChul a ir com ele até os outros, chamando-os para dançar. Tocava Madonna e outras divas das músicas de quenga no volume máximo e eles estavam já um pouco altos — menos SungMin e SiWon —, mas nada que já não estivessem acostumados. HanGeng juntou-se a eles, passando a mão pela cintura de HeeChul que ao perceber que era o chinês revirou os olhos e deu um tapa no braço do dono do navio, fazendo-o retirar, porém não se afastou. HanGeng levou isso como uma evolução e de tempos em tempos tentava tocar-lhe em alguma parte.
            HeeChul já farto daquelas insinuações, puxou Zhou Mi para o bar, e gritou por DongHae que apareceu rapidamente, com um sorriso divertido nos lábios.
— Parece que o patrão gosta de você — comentou aumentando o sorriso.
— Eu passo a bola, bonitão. — Revirou os olhos. — Me dê a coisa mais forte que você tiver.
— Woah! Te aquieta aí — Zhou Mi se intrometeu, chamando a atenção do amigo e logo em seguida virando-se para o barman: — Não dê o mais forte, porém não dê o mais fraco — piscou. — Duas doses.
Os dois conversavam sobre como DongHae era bonito e simpático quando o mesmo apareceu com os drinques, não muito tempo depois do pedido.
— Aqui sua bebida especial — DongHae entregou um copo colorido para HeeChul que fez uma expressão de adoração ao pegar o objeto e tomou um gole, fazendo uma cara de prazer estupenda e em seguida lambendo os lábios.
— Faz assim de novo que eu te pego mais tarde — Zhou Mi brincou, ao mesmo tempo que HanGeng aparecia perto deles e pedia algo à DongHae que preparava no mesmo instante.
— Zhou Mi, você me tem a hora que quiser — piscou enquanto passava o dedo pelo peitoral, colocando a língua para fora, numa tentativa parcialmente bêbada de ser sensual.
— UIE! — O chinês ruivo riu alto.
— Então HeeChul, está gostando do navio? — HanGeng puxou assunto.
— Bastante, praga chinesa. É bem... Luxuoso. — sorriu, remexendo os cabelos negros e longos para o homem. — Haaaae! — Chamou, manhoso, e foi em poucos segundos atendido. — Me vê outra dessa — levantou o copo que ele antes entregara.
            Não demorou muito para que a segunda leva de bebidas especiais de DongHae viessem e assim como HeeChul, Zhou Mi e até mesmo HanGeng se aventuraram nela. Mais músicas animadas começaram a tocar e vários “coquetéis especiais” depois, HeeChul se viu tão animado quanto há muito não estava. Ele viu HanGeng dançando lentamente olhando para ele e retribuiu o olhar, rindo da forma como o outro estava afim de si. Voltou a dar atenção para o melhor amigo que estava praticamente rebolando até o chão e começou a gritar, incentivando-o a ir até o final.
            Os dois seguiram junto com KangIn para o bar mais uma vez e DongHae já havia virado seu bartender particular quase. Ele e HeeChul estava tão amigos que HanGeng sempre dava um jeito de se meter no meio da conversa, recebendo um olhar de reprovação do mais velho e um de desculpas de seu subordinado.
            Em uma dessas idas, o chinês ruivo pediu uma rodada caprichada das bebidas especiais de DongHae e praticamente brigou com SiWon que quase não o quis deixar beber. Entretanto argumentou o que precisava e ele o deixou para ficar de beijos com o noivo. HanGeng estava sentado numa das cadeiras do bar bebendo uma água com gás, enquanto o barman preparava os drinks.
— E aí, Hae? — HeeChul disse lânguidamente e jogou o tronco no balcão, visivelmente bêbado, ficando bem perto do garoto, que com certeza era mais novo que ele, porém bem mais robusto e com o corpo muito mais masculino.
— Fala aí.
— É sério que você não namora? Não tem ninguém? Mesmo? — O mais velho bufou ao perguntar.
— HeeChul larga de ser descarado! — Zhou Mi apareceu rindo feito uma hiena, por conta das muitas doses.
— Tem que ser. Olha esse cara — apontou para DongHae que ria dos dois homens.
— Venha cá — chamou o mais velho com o dedo, que se aproximou na mesma hora. — Eu por enquanto estou solteiro. Segredo, shh. — E dito isto deu um pequeno beijo na bochecha de HeeChul que abriu um largo sorriso.
— Acho que fui pro céu e não fiquei sabendo — pegou a bebida das mãos do moreno que ria do comentário, assim como o chinês ruivo.
            O louro revirava os olhos para a cena e tentava bolar alguma maneira de se aproximar do mais velho, de arranjar alguma forma de fazê-lo sentir-se atraído por si.
            HeeChul tomou bebeu todo o conteúdo do copo e subiu na cadeira, recebendo olhares curiosos de Zhou Mi e DongHae. Fez um sinal para que eles ficassem em silêncio. A voz de Britney Spears dominou a boate e vários assovios e gritos invadiram o local quando as pessoas identificaram a música. Zhou Mi começou a rir alto enquanto o mais velho subia no balcão, olhando para HanGeng e DongHae com uma expressão de quem estava com más intenções.
— Vem, bicha!
— Meu amor, eu já fui! — E segurando a mão do outro, logo tomou impulso e subiu no balcão junto com ele.
DongHae olhou para o chefe esperando alguma instrução de que ele deveria parar os dois, mas apenas recebeu um gesto para não se importar.
            Os dois riram, enquanto Gimme More enchia os ouvidos de todos e o ambiente se tornava cada vez mais sexy. O álcool não era algo que os ajudassem a se comportar naquele exato momento e a expressão de deleite que a maioria dos caras estavam os encarando naquele instante era melhor que qualquer coisa.
— Gimme, gimme...
— More — Zhou Mi completou o cantarolar do amigo, enquanto pegava na barra da camiseta do mesmo que rebolava de leve ao som da música, enfiando as mãos por debaixo do pano, tocando a pele branca de HeeChul que suspirou com o toque.
            HanGeng ficou tenso na cadeira enquanto KangIn parou de beber, cruzou os braços e ficou em frente aos dois que se separaram e começaram a rebolar descaradamente enquanto sorriam cúmplices ao som da música. Alguns assovios eram direcionados à eles e DongHae por estar atrás do balcão, tinha vista privilegiada. O dono do navio fuzilava-os com os olhos e ambos estavam agora com as pernas dobradas e as bundas quase encostavam o balcão.
            HeeChul começou a subir lentamente, empinando a bunda propositalmente, levantando a blusa com as mãos mostrando a barriga branca e lisa para quem estivesse embaixo. Zhou Mi alisou a pele alva, ouvindo um assovio grave deixar a boca de KangIn.
            O mais velho levantou a camiseta até ela alcançar o pescoço fazendo caras provocativas, até que arrancou-a por completo, enquanto rebolava descaradamente. Seus olhos se fixaram em HanGeng que fitava seu corpo com desejo nítido. Naquele instante, HeeChul desejou que o chinês louro desistisse de tentar sair com ele, que ele se arrependesse de tê-lo conhecido, mas sabia que seria um pouco complicado. Ou talvez nem tanto.
            Zhou Mi sentou-se no balcão, bebendo o resto de sua bebida que estava um pouco atrás de onde eles se posicionaram para dançar e antes que pudesse se levantar, sentiu um peso dominar seu colo e ao olhar para frente viu seu melhor amigo sentado em sua pélvis, dando leves cavalgadas ainda no ritmo da música com o sorriso mais pervertido e mais bem conhecido que o chinês ruivo poderia ver.
— Ai que bicha safada! — Tombou a cabeça para trás, rindo.
— Você nem faz ideia — respondeu, levando a cabeça em direção ao pescoço exposto e altamente propenso a marcas de Zhou Mi.
            Porém antes que os lábios do mais velho pudessem fazer alguma sucção naquela pele branca, mãos habilidosas e grossas puxavam HeeChul de cima de seu melhor amigo, fazendo-o ficar chocado por ter sido interrompido em tal momento.
— QUAL FOI? — O mais velho gritou ao ver SiWon colocando-o de pé e assim que ambos perceberam que ele não conseguiria fazê-lo, o mais novo o pôs nos ombros e carregou-o boate afora, mas não antes que ele se virasse para o bar e gritasse: — BOA NOITE, HAE!
— Tchau, HeeChul — o barman riu e voltou ao trabalho.
— SEU COISO, ME PÕE NO CHÃO! — Zhou Mi também gritava com KangIn que o carregava feito uma noiva.
— SiWon mandou eu te levar pro quarto e é isso que eu vou fazer.
            LeeTeuk seguia com KyuHyun na frente, assim como SungMin e RyeoWook. Estes estavam calmos e praticamente sóbrios. Não demorou para que eles chegassem ao seus devidos quartos.
— Vá tomar um banho, Heenim — SiWon pedia, carinhosamente.
— Tá bom, tá bom.
— Ele vai tomar um banho comigo — Zhou Mi apareceu abraçando-o pela cintura e piscando marotamente para SiWon que riu do jeito bêbado dos dois.
— Até mais tarde.
— Até — os dois se despediram, porém antes que o mais velho pudesse fechar a porta, a voz que ele desejava não ouvir nesse momento chamou seu nome manhosamente, fazendo-o olhá-lo entediado.
— O que você quer, HanGeng?
— Hm — coçou a cabeça um pouco sem graça e em coragem para começar a falar.
— Fala logo, praga chinesa. Eu quero dormir — rolou os olhos, encostando-se ao batente da porta.
— Eu quero saber se você quer sair pra jantar comigo alguma hora dessas...? — Perguntou, com esperança, encarando aquele rosto que tanto desejava beijar.
            HeeChul apenas começou a rir. Jogou a cabeça para trás e deu a gargalhada mais cheia de deboche e veneno que podia dar.
— Você tá de zoa comigo não é? — Riu pelo nariz. — Você acha mesmo que eu, Kim HeeChul, sairia com você? — enfiou o dedo no peito dele a cada palavra, empurrando-o pra trás. — Olha aqui meu querido, — botou uma mão na cintura e levantou o dedo indicador da outra mão enquanto falava, balançando-o em frente ao rosto do chinês — você pode ter um navio, um avião, pode ter até uma ilha, a lua e o caralho a quatro. — HanGeng suspirou e desviou o olhar, desapontado. — Olha pra mim. — pegou o rosto dele e o fez olhá-lo. Recuou e fez uma pose. — Olha bem, guarda essa imagem na sua mente. — aproximou o rosto do dele como se fosse beijá-lo, mas recuou no último momento e olhando-o de cima a baixo, declarou — porque é o máximo de mim que você vai ter. — se virou e entrou no quarto, antes que ele pudesse dizer qualquer coisa.
Postado por Scarlett Lefévre às 06:27

0 comentários:

Postar um comentário